• Cain Mireen

Livros de Magia, os Grimórios.

Grimório vem da palavra do francês antigo gramaire que significa gramática esse termo inicialmente foi considerado uma palavra para designar qualquer livro escrito em latim, apenas no século XVIII foi usado para referir puramente qualquer livro de magia ; grimórios são considerados "livros" medievais de feitiços, rituais, conjurações de anjos, demônios e outros espíritos e uma gama de instruções para construção de talismã e amuletos na qual foram anotados durante o período medieval e durante a idade moderna.


Esses escritos tornaram livros mágicos embutidos de força mágica sendo como um registro de suas conjurações, operações mágicas e estudos acerca da magia, feitiçaria, ocultismo e ligações com espíritos. Muitos deles pertenciam a magos, e estudantes de magia e muito mais para os praticantes astutos que acabaram criando livros mágicos e tendo em uso os antigos e mais conhecidos.


“A derivação de 'grimório' não é totalmente certa. No início do século XIX, sugeriu-se que vinha do italiano 'rimario', um livro de rimas ou versos bíblicos. É mais provável que derive da palavra francesa 'grammaire', que originalmente se referia a uma obra escrita em latim. No século XVIII, era amplamente usado na França para se referir a livros de magia ... ”
- Davies, Owen (2009). Grimoires: A History of Magic Books

Hoje o termo grimório é usado para referir qualquer livro de magia, porém existe um erro equivoco dado aos termos que surgiram após como Livro das sombras, Livro Negro e outros termos que surgiram com os movimentos e ramos tradicionais modernos. Dito isso, existe muitos livros de magia e textos mágicos que podem ser facilmente confundido com grimório e muito facilmente leva esse termo mas nem todos livro de magia é grimório; De acordo com Owen Davies, um grimório é “… ser baseado na conjuração de espíritos, no poder das palavras ou na criação ritual de objetos mágicos.”


Ao decorrer dos séculos muitos textos e praticas de magia da Idade Antiga serviram como influência e inspiração para a construção de muitos grimórios no período medievo, a idade antiga data antes da Queda do Império Romano, foram as civilizações antigas que cercaram o Mediterrâneo e o Oriente Médio, e os países do Oriente Médio que serviram de suas praticas mágicas para elaborar muitos do que hoje são conhecidos como grimórios.


"Grimórios são livros que contêm uma mistura de feitiços, conjurações, segredos naturais e sabedoria ancestral. Suas origens remontam ao início da escrita e sua história subsequente está entrelaçada com a das religiões do Judaísmo, Cristianismo e Islã, o desenvolvimento da ciência , a influência cultural da impressão e o impacto social do colonialismo europeu. "
Owen Davies

Durante a época medievo a Igreja dividiu os livros de magia entre duas faces, os livros de magia natural onde era descrito os poderes da natureza que foram criados por Deus que também continha feitiços medicinais simples que foram tolerados e a outra face era livros de magia demoníaca onde era atribuido as poderes do Diabo onde descrevia artes como necromancia, adivinhação, demonologia e magia negra. A produção de grimório continou com a Igreja.


"há ampla evidência de que o clero medieval foram os principais praticantes de magia e, portanto, os proprietários, transcritores, e circuladores de grimórios, enquanto vários grimórios foram atribuídos aos papas .
Owen Davies

Foi também durante essa época medievo que muitos grimórios foram escritos e "traduzidos" pelos membros do clero e foram atribuído as figuras antigas como no caso de Salomão que hoje em dia circula um dos grimórios mais famosos, As Claviculas de Salomão e assim supostamente dando-lhe autenticidade por sua antiguidade. Hoje através de historiadores e pesquisadores desses temas que muitos livros considerados Pseudepigraficos foram escritos muito depois da morte dessas figuras.


No período moderno a circulação de grimórios foi popular nos países Europeus e nas Américas sendo o auge do interesse pelo ocultismo, tradições de magia e hermetismo. A busca pelos grimórios medievais foi grande durante esse período principalmente na Renascença que a produção de grimório foi em massa sendo assim possível de encontrar em biblioteca local ou até mesmo comprar. Hoje em dia, os grimórios podem ser encontrados facilmente e muitos outros são material de estudos por historiadores, pesquisadores e pelos praticantes de magia; alguns desses grimórios ajudaram a fundar tradição e a reviver outras praticas mágicas. Muitos grimórios tornaram-se popular entre os caminhos tradicionais de bruxaria e magia popular, alguns ajudaram a criar sistemas de feitiçaria como o hoodoo, que teve ajuda e a inspiração de grimórios europeus misturando elementos indígenas norte americanos e a feitiçaria africana.



Clavicula Salomonis


Conhecido por muitos praticantes de ocultismo e bruxos por A Chave de Salomão, esse grimório teve a sua origem provável em 1310, é uma coleção de textos com feitiços antigos hebraicos, com inspirações nos ensinos cabalísticos atribuído a figura bíblica de Rei Salomão, esse grimório é considerado um pseudepigrafo quando uma obra é atribuída a uma figura de autoria falsa. Ele contém 36 pantáculos usados nas operações de magia. Esse tipo de livro possui muitas traduções, é possível que o verdadeiro livro foi escrito em latim ou italiano datado do século XIV ou XV. Ele também nos dá instruções de materiais ritualísticos para operações mágicas, respeitando os momentos astrologícos de construção, marcando o objeto com símbolos mágicos e com palavras próprias.


Um dos pentáculos encontrados nos manuscritos da Chave de Salomão . Este é identificado como "O Grande Pentáculo" e aparece na Biblioteca Bodleian Michael , um manuscrito italiano do século 17. Uma figura equivalente também aparece em uma versão latina , Bodleian Library, Aubrey, datado de 1674. A figura é uma variante do Sigillum Aemeth publicado por Athanasius Kircher em Oedipus Aegyptiacus .

Um grupo de pantáculos do manuscrito hebraico


Le Grimoire du Pape Honorius


O Grimório do Papa Honório, é um grimório do século XVII - XVIII e afirma-se que foi escrito pelo Papa Honório III acredita-se que é o único grimório criado para ser usado por um padre, entre suas instruções o de dizer uma missa.


Grimoire du Pape Honorius (1760)


Fonte:

Owen Davies - Grimoires, A history of Magic Books.


Cain Mireen




187 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo