• Cain Mireen

Sexta Feira Santa e a sua feitiçaria popular. As crenças mágicas da Semana Santa.

Pretendi falar sobre a Sexta Feira da Paixão, conhecida popularmente entre as bruxas como Sexta Feira Negra ou Boa Sexta Feira que remete a morte de Jesus Cristo um ícone sagrado para o catolicismo e especialmente aos que praticam a magia popular tem um certo poder que reside nesse dia de grande importância para a pratica de feitiçaria operativa.


A Sexta Feira Negra é uma data religiosa cristã que relembra da passagem da crucificação de Jesus Cristo e a sua morte no monte Calvário, o feriado é sempre na sexta feira que antecede o Domingo de Páscoa que pela passagem bíblica é o dia que Jesus ressuscitou dos mortos. A passagem possui um grande significado mágico para aqueles que conhece o poder, um dia sagrado para trabalhos mágicos que remete a malefícios e as artes negras da feitiçaria assim como sábado de aleluia e domingo de páscoa que remete a qualquer ato beneficio da feitiçaria.


Jesus na cruz entre os dois ladrões - Peter Paul Rubens

O gnose está presente nessas lendas bíblicas como um repositório de ensinamento oculto para a bruxa utilizar e sabendo isso ela trava um caminho de fé dupla; A Fé Dupla é presente dentro da bruxaria onde ela traça uma via de feitiçaria reunindo os elementos pagãos-cristão dentro da sua Fé Sem Nome, isso é presente em muitas bruxas, praticantes, astutos da moda antiga e nas vias tradicionais de magia folclórica.


Os pregos da crucificação se tornaram objetos de uso popular entre os praticantes folclóricos de magia, diferentes fontes nos dão números de quantos foi usado para crucificar cristo, 3 sendo o número poderoso em algumas correntes mágicas remete a Santíssima Trindade e outros aspectos oculto enquanto outras nos dão pistas de 4; o funcionamento desses pregos dentro da magia popular é certa quando se trata de pregar, fixar, unir assim como foi feito o corpo de Cristo o mesmo pode afligir dores e maldição quando o ato é carregado de encantos verbais e orações que conjura a passagem da crucificação de Jesus Cristo.

"Assim que Nosso Senhor Jesus Cristo foi pregado na Cruz no Monte Calvário, prego seu corpo para que possas sentir dores e sofrimentos assim como Jesus Cristo sentiu"

Durante o dia todo não se deve usar martelo e nem prego, pois isso lembra essa passagem dolorosa mas como um bom praticante de bruxaria, a heresia faz parte da bruxaria e nesse momento fabrique um boneco e realize seus atos rituais com pregos para promover as dores de um coração partido no corpo do seu ex.


Cristo na Cruz- Anthony van Dyck-1627


As praticas que aqui eu descrevo faz parte de minha familia, de praticantes que conheci e algumas pesquisas do velho mundo na qual nos inspira a fundar as nossas praticas conforme a inspiração espiritual e o entendimento oculto desse folclore católico. As praticas mágicas são fundadas pelo entendimento mágico do praticante na qual reúne o folclore e o gnose presente para manipular conforme as necessidades para realizar as suas obras operativas. Sexta Feira Santa é conhecido como ser o dia da morte de Jesus Cristo e nesse mesmo dia, com a morte de Jesus é um dia ideal para as praticas de feitiçaria que visa o malefício, artes de necromancia e contato com os Mortos.


Minha mãe sempre diz que trabalho para o mal deve começar a ser feito de madrugada de quinta feira para sexta feira pois é o momento que os espíritos estão solto para receber oferendas na rua, maldições contra inimigo, maldições para ladrões, para diversas situações que visa o amaldiçoar do corpo e do espírito ganham força extra quando são realizado e conjurado através; "Jesus Cristo foi preso no Monte Calvário, quebro suas forças em nome de Ferrabraz" assim é dito em algumas orações, palavras que visa o poder oculto na cena de tortura de Jesus Cristo e a sua crucificação.


A bruxa e o praticante folclórico reconhece dias e noites de poder, dias que visa um contato mais direto com espíritos e com o Outro Mundo, sexta feira negra é um desses dias ótimo para trabalhos de Malefícios. Na celebração da Sexta Feira Santa procure uma igreja ou vá até a igreja local para assistir, leva consigo um boneco que represente aquele que deseja amaldiçoar tendo em sua composição alguma coisa que tenha ligação com o alvo do feitiço podendo ser cabelo, unha, pedaço de roupa, sêmen, pelos ou algo semelhante e prepare uma agulha virgem grande e num certo momento em que conseguir sentir a influência necessária para seu ato magico maléfico espete a agulha no boneco e repita baixinho


" Padre nosso que estáis no altar

Sexta feira Santa, ao Diabo vou exaltar

"fulano" não é o boneco que desejo espetar

Mas é você que em corpo e alma desejo amaldiçoar

Assim como Jesus Cristo foi espetado pelos cravos de ferro

o seu coração eu serro e seu corpo espeto

Em Nome de Lucífer, Satanás e do Diabo "


Quando acabar de proferir as palavras guarde imediatamente o boneco sem que seja visto o seu ato de feitiçaria, volte para casa e construa uma pequena cruz usando galhos de alguma árvore que seja preferível de árvore podre, de galhos secos e que esteja seca imediatamente armado como uma cruz, amarre o boneco assim como foi crucificado o Senhor Jesus Cristo imediatamente saia de casa sem ser visto realizando seu ato operativo e se for possível deixe o boneco crucificado na porta da igreja local ou de alguma igreja próxima, volte para casa sem olhar para trás.


Muitas regiões ainda mantém certas tradições de não tomar banho, não pentear os cabelos, pintar as unhas coisas que remete a vaidade humana isso é algo que desrespeitaria totalmente a Sexta Feira Santa, coisas também como varrer a casa remete a falta de atenção ao dia sagrado, falar palavrão e muito menos pegar em dinheiro é coisas que ainda resiste o tempo e povoa as casas dos mais antigos. Como sendo um dia sagrado muitas mandingas eram feitas pelas mulheres para saber com que casaria:


"Na sexta feira santa, o que se come o dia todo se guarda um pouco, a meia noite se coloca a mesa com tudo aquilo que você comeu, e pedirá para que seu futuro amor venha em sonho para se alimentar".

Outra crença muito viva e a mesa de 13 pessoas, isso retrata a ultima ceia de Jesus Cristo antes de sua crucificação que segundo a passagem ele teria previsto a sua morte então segundo a superstição nunca se deve sentar na mesa de 13 pessoas, se caso ocorra isso entre eles uma futura morte esta próxima.


A Última Ceia - Leonardo da Vinci.

A religiosidade popular é viva no coração do povo principalmente aqueles que mantem as velhas tradições católicas e mágicas. Após encontramos sábado de Aleluia, um dia consagrado para realização de encantos que visa a libertação, proteção, limpezas na primeira hora do sábado se toma banho pois todas as águas são bentas antes dos primeiros raios solares tocarem a água é uma questão tradicional entre os velhos para limpar o corpo das impurezas da sexta feira santa. Sábado de Aleluia é marcado por um ato folclórico que é a Malhação de Judas tradição que faz parte da semana santa, adultos e crianças é ensinado pelos mais velhos que se faz um boneco tamanho humano usando roupa velha deverá parecer o mais humano possível, feito isso ele é amarrado num poste ao meio-dia na qual segundo a crença foi a hora que ele se enforcou, nesse momento ele é espancado por todos outras arrastam pelas ruas através de uma corda e depois atiram lhe fogo, esse ato faz lembrar das crenças pagãs da velha Europa durante os festivais de primavera como um ídolo que trará fertilidade para as plantações após o seu sacrifício. Anos depois da Igreja Católica tomar posse dos antigos rituais e crenças pagãs muitas coisas foram adotadas para representar passagens bíblicas mas no fundo não se passa de ritos pagãos. Antigamente, Judas foi representado por um boneco que a multidão levava e queimava em praça pública. Era a condenação popular concedida ao traidor de Jesus.


Dentro da ervoaria bruxa encontramos ervas que foram associada durante os séculos a essas passagens levando o uso delas dentro da feitiçaria, trabalhos com a planta chamada Coroa de Cristo (Euphorbia milii) também é conhecida como colchão-de-noiva, dois-irmãos, bem-casados, coroa-de-espinhos, martírios, duas-amigas, coroa-de-nossa-senhora e dois-amigos e um pequeno arbusto espinhento muito popular nas regiões brasileira ela é uma planta considerada poderosa pela influencia marciana e ao mesmo tempo remete a coroa de espinho que foi posto na cabeça de cristo durante a sua tortura antes da crucificação feito, com essa planta seus espinhos serve para trabalhos negros, uteis para espetar velas, bonecos, e outros conforme o conhecimento do praticante. O manjericão (Ocimum basilicum) é uma erva que segundo o folclore ela crescia ao redor do tumulo de Jesus Cristo após a sua crucificação, ela é usada em ritos de proteção, e renovação no domingo de páscoa que remete a ressureição. Mais uma erva que é ligada a esse período é a Verbena (Verbena officinalis) pois segundo a crença popular ela foi usada para estancar as feridas de Jesus após a sua remoção da cruz, por isso ela recebe um dos nomes como "Erva Sagrada" por causa dessa associação ela é usada para magicas de cura e preparação de amuletos para repelir doenças. Algumas crenças nos diz que a cruz da crucificação foi feita com madeira do Carvalho, uma arvore símbolo de firmeza e resistência.


Uma tradição forte em algumas regiões rurais brasileiro é a colheita de macela (Achyrocline satureioides), cujo poder é abençoado no orvalho da manhã da Sexta Feira Santa, onde deve ser colhida antes do nascer do sol e levada para casa para ser preparada chás e beberagens onde o poder mágico-medicinal da erva é despertada e liberada nesse dia, Ela age como um remédio abençoado contra diversas doenças que muitas curandeiras e erveiros conhece o seu poder mágico, ela também é amarrada em ramos e pregada atrás da porta de entrada como amuleto de cura para toda a familia.



Euphorbia milii - Coroa-de-Cristo

Verbena officinalis - Verbena

Achyrocline satureioides - Macela do Campo

Uma pratica muito vista e popular é o Pão da Sexta Feira Santa coo conta nesse trecho retirado do livro County Folk-Lore Volume I (1892).


O PÃO DA BOA SEXTA-FEIRA


"Um clérigo ligando para uma cabana um dia, viu um pequeno pão pendurado estranhamente em um canto da casa. Ele perguntou por que ele foi colocado ali, e foi informado que era um pão da Sexta-feira Santa, um pão assado na Sexta-feira Santa, que nunca ficaria bolorento e que era muito útil contra algumas doenças, citando-se o fluxo sanguíneo como exemplo. Algumas semanas depois, o clérigo voltou a telefonar com um amigo na mesma casa, chamando a sua atenção para o pão que estava pendurado em seu canto de costume. O dono da casa, cheio de zelo para fazer as honras de seu estabelecimento, esforçou-se para derrubar o pão com cuidado, mas falhando na tentativa, ele deu um puxão violento, e o precioso pão, para sua grande consternação, desfez-se em átomos. O velho recolheu os fragmentos e tornou a pendurá-los num saco de papel, com ainda mais reverência pelo bem que o pão, como dizia, tinha feito ao seu filho. O jovem homem, tendo sido acometido por um leve ataque de cólera inglesa, no verão, secretamente "absolvido" e comeu um pedaço do pão, e quando sua família expressou surpresa com sua rápida recuperação, ele explicou o mistério, declarando que havia comido do pão da Sexta-Feira Santa e fora curado por ele. . . . Foi verificado por outras pessoas que tais pães estavam longe de ser incomuns na paróquia. "

County Folk-Lore Volume I (1892)


Pão Cruzado Quente

O pão é feito pelo praticante em sua casa e colocado para assar na sexta feira santa, ele é empregado de bencão quando é usado para combater doenças através de magias de cura, um pão de sexta feira santa endurecido protege a casa contra o fogo. No Brasil é comum algumas igrejas distribuir pão caseiro que remete a última cia, o pão é abençoado pelo padre e ele é empregado dentro de algumas magias como proteção contra doenças, e a má sorte. No Reino Unido ele é conhecido como Pão cruzado quente (Hot Cross Bun) eles possui um folclore na qual eles assados e servidos na Sexta Feira Santa não estragam durante a próxima Sexta Feira Santa, e ele possui uso para fins medicinais.



Fonte:

Dicionário do Folclore Brasileiro - Camara Cascudo

Geografia dos mitos brasileiros - Camara Cascudo

Folclore do Brasil - Camara Cascudo

Superstição no Brasil - Camara Cascudo

A Historia Do Catolicismo Ariovaldo Griese

The Folk-lore of Plants - T. F. Thiselton-Dyer

Magic in the Middle Ages - Richard Kieckhefer

Magia e religião: Na Inglaterra medieval - Catherine Rider

Popular Magic: Cunning-folk in English History - Owen Davies


*Muito do que encontra nesse texto encontra-se na sabedoria oral.


Bençãos.






98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo